Que tal se aperfeiçoar um pouco mais?

Tá afim de aprender coisas novas com a internet sem gastar nenhum centavo?

Segue aí algumas sugestões:

Brasil Mais TI: cursos na área de TI.

Escola Virtual Bradesco: Cursos na área de TI e administrativas. Dependendo da região, pode encontrar aulas semi-presenciais.

Universidade XTI: Possui canal no youtube com diversas vídeo aulas. No link há uma explicação de como conseguir acesso full à universidade e ter acesso às listas de exercícios.

Curso de Programação: Elaborado pelo desenvolvedor Marcelo Ribeiro (Ticblaster), tem o objetivo de ensinar programação com uma excelente didática.

Ilustrações cristãs: Que tesouro você quer pegar?

Uma mulher muito pobre andava com seu filhinho num bosque à procura de alguém que lhes desse algo para comer quando ouviu uma voz baixinha que vinha de dentro de uma caverna. Ela foi se aproximando cada vez mais para tentar ouvir o que aquela voz dizia. Ao aproximar-se, ouviu:

– Olá! Aqui dentro há muito ouro, muita prata e pedras preciosas das mais belas e caras do mundo! Entre agora e pegue o que quiser.

A mulher, meio desconfiada, olhou para o filho e começou a entrar na caverna. Olhou no interior da caverna e constatou que, de fato, ela estava recheada de tesouros insondáveis que ela nunca tinha visto na vida.

– Posso mesmo pegar o que quiser? Perguntou ela para a misteriosa voz.

– Sim, mas, você poderá encher apenas uma sacola e terá apenas dois minutos para escolher o que quer levar. Depois deste tempo, saia correndo, pois a caverna se fechará para sempre com tudo que ainda estiver aqui dentro.

Com o coração acelerado pelo pouco tempo que tinha, por toda pressa e com tantas opções à sua frente, a mulher escolhia, juntava, trocava, destrocava, ajeitava os objetos na sacola, trocava novamente. Procurava a todo custo escolher as coisas mais valiosas e que pudessem lhe render mais valores.

– Vamos!! Agora você tem apenas 10 segundos… apressava a voz.

Ela pegou mais algumas pedras preciosas e colocou rapidamente na sacola.

– 6, 5, 4, 3, 2…

Pegou mais uma bandeja de ouro e saiu correndo.

Já do lado de fora, ainda teve tempo de assistir a entrada da caverna se transformando num imenso paredão de rocha.

Olhou a sacola, avaliou o que havia conseguido juntar e, feliz, concluiu que agora era uma mulher rica e iria poder dar ao seu filho uma vida melhor. Nunca mais passariam fome na vida. Teria casa, carro, comida… uma vida melhor!

Mas em questão de segundos a mulher notou algo… seu semblante imediatamente passou da alegria extrema para a tristeza extrema!

– Meu Deus… meu filho! Meu filho, meu Deus, meu filho…

Na correria, diante da fascinação, esqueceu seu filho dentro da caverna para sempre!

UMA GRANDE LIÇÃO:

Não deixe a correria da vida e a fascinação pelas coisas materiais fazê-lo se esquecer das pessoas que você ama. Você pode perdê-las para sempre!

Por André Sanchez
Fonte: Esboçando Ideias

O Plano para uma família livre de pornografia

Por Tim Challies

Eu sou pai de três filhos que são totalmente parte de uma era digital. Eles estão tão à vontade com iPods quanto eu estou com um livro e somente conhecem um mundo aonde quase todos nós temos os nossos celulares conosco o tempo todo, aonde o Facebook é um rito de passagem de um adolescente, aonde cada casa tem cinco ou dez ou vinte aparelhos que podem acessar o resto do mundo através da Internet. E mesmo assim eu sei dos perigos que se escondem, esperando fisgá-los.

Eu quero proteger meus filhos de um mundo assim, mas eu quero fazer mais que isso. Eu quero disciplinar meus filhos a viver virtuosamente, a usar essas novas tecnologias para um bom fim ao invés de mau. Eu creio que isto é uma parte crucial no meu chamado como pai. Para suprir essa necessidade, eu desenvolvi o que eu chamo de O Plano da Família Livre da Pornografia.  É um plano desenvolvido para proteger meus filhos de perigos online para que assim eu possa treiná-los a usarem bem os seus aparelhos tecnológicos. 

O PLANO DA FAMÍLIA LIVRE DA PORNOGRAFIA

Um plano completo precisa levar em conta três tipos de aparelhos:

Aparelhos fixos. Esses aparelhos serão usados somente em casa. Aqui nós temos computadores no escritório de casa ou Televisão com acesso à internet e consoles de jogos eletrônicos. Pais conseguem ter um nível significativo de controle sobre esses aparelhos.

Aparelhos móveis. Essas são os laptopstabletssmart phones e outros aparelhos que podem ser usados em casa, mas também podem ser levados para fora de casa e usados em qualquer lugar. Pais tem um nível menor de controle sobre esses aparelhos.

Aparelhos de outras pessoas. Esses são os computadores que as crianças usam na casa de outras pessoas ou o tabletque outras crianças podem mostrar para os seus amigos. Pais tem controle zero sobre esses aparelhos.

Nisso tudo há dois objetivos maiores: Prevenir aqueles que querem achar pornografia e proteger aqueles que não querem achar, mas que podem se pegar expostos a isso, frustrar aqueles que querem ver pornografia e defender aqueles que não querem. E enquanto o plano é orientado especificamente a combater pornografia, também ira ajudar a lutar contra outros perigos online.

 O Plano para uma família livre de pornografia consiste de 4 passos: Planejar, Preparar, Encontrar e Monitorar.

PLANEJAR

Você já deve ter ouvido a máxima: Se você falha ao planejar, você planeja falhar. A máxima se aplica bem ao o que estamos tentando alcançar aqui. Um plano de sucesso precisa incluir todos os aparelhos na sua casa que tenham acesso à Internet e uma tela. Então, mãos a obra.

Passo 1: Inventário

Você precisa saber exatamente quantos aparelhos podem ter acesso à internet na sua casa. Para fazer isso, você precisará fazer um inventário. Faça uma lista com todos os aparelhos que podem ter acesso à internet: computadoresdesktops, laptops, tablets, e smartphones. Não se esqueça do Playstation 3, Xbox, televisores com acesso à internet, Apple TV, iPods, e leitores digitais (de e-books). Até mesmo um leitor Kindle tem capacidade de fazer pesquisas básicas na rede. Recentemente uma família relatou que após fazer isso eles ficaram em choque ao saber que tinham 22 aparelhos no inventário.

Passo 2: Orçamento

Decida se você está disposto a fazer segurança da Internet uma despesa regular e recorrente todo mês. Antes gastáva-se dinheiro para ter acesso à pornografia, hoje geralmente gastamos dinheiro para evita-lá. Apesar de haver opções gratuitas disponíveis, os melhores serviços tem um custo. Um orçamento de 20-25 dólares ( aproximadamente 45 a 65 reais) por mês permitirá que uma família a tire proveito do que há de melhor no mercado.

Passo 3: Aprender

Agora que você fez o seu inventário e tem uma melhor compreensão de quantos aparelhos o seu plano precisará levar em conta, é hora de aprender sobre as opções disponíveis que existem para proteger aqueles que os usam. Há quatro extensas categorias de proteção:

Filtragem: Filtragem proativa detecta e bloqueia certos conteúdos ilegais ou indesejáveis. (exemplos: se seu filho faz uma pesquisa na internet por “garotas nuas”, irá bloquear a pesquisa; se a sua criança por engano clicar em um link para uma página de um site de pornografia, irá bloquear o acesso ao site.).

Prestação de contas. Accountability software rastreia web sites visitados por diferentes aparelhos e então prepara e entrega relatórios regularmente. (exemplo: Se seu filho visitar um website pornográfico ou tentar fazer uma pesquisa por “garotas nuas”, o Accountability software irá detectar e incluir isto em um relatório que será enviado para o seu e-mail.).

Controle dos Pais. Controle dos Pais é o bloqueio certas funções de aparelhos modernos (exemplo: previne o uso de um navegador da internet em um iPOd Touch, previne o uso do aplicativo do Facebook em um tablet.)

Comunicação: Nós não podemos contar com a tecnologia para resolver todos os nossos problemas, então o plano deveincluir constante, comunicação franca e aberta.

Nenhuma dessas categorias oferecem proteção completa, então o plano inteligente deve usar uma combinação de todos os quatro. O Plano para uma família livre de pornografia usa as seguintes ferramentas:

  • OpenDNS. OpenDNS utiliza filtragem para bloquear automaticamente sites censuráveis ​​para cada dispositivo conectado à sua rede doméstica. Ele é ativado através de uma pequena alteração nas configurações do seu roteador existente.
  • Covenant Eye. Covenant Eye rastreia os sites visitados por seus computadores e dispositivos móveis e envia relatórios via e-mail; ele também oferece filtragem opcional que pode ser configurada especificamente para cada membro de sua família.
  • Parental Controls. Parental controls permite que os pais possam desativar certas funções nos aparelhos.
  • Reuniões. A ferramenta mais indispensável é a comunicação regular, livre, deliberada entre os pais e seus filhos.

Passo 4: Discutir

Antes de você executar o plano, talvez seja uma boa idéia fazer uma reunião com a sua família para explicar o que você está prestes a fazer e o que você espera alcançar com isso.  Você irá abalar sua família ao estabelecer regras que irá impactá-los, por isso seria sábio discutir essas coisas com eles.

PREPARAR

Vamos começar a colocar esse plano em ação. Isso levará algumas horas, então disponha de tempo, faça um cafezinho pra você e mãos a obra!

Passo 1: Crie Senhas

Senha Master: No topo da lista está criar uma senha máster. Todo o seu plano irá falhar se você escolher uma senha ruim ou fracassar em protegê-la.  Faça isso bem feito (algo que seja difícil de adivinhar e que combine letras com números) e certifique-se de armazená-la em algum lugar seguro se você não está certo de que vai se lembrar dela. Você talvez também precise criar uma senha máster de 4 dígitos para aparelhos celulares.

Senhas da Família. Você também precisará criar uma senha para todas cada pessoa em sua casa. Crie senhas que serão fáceis para eles se lembrarem, mas difícil para os outros adivinharem. Todos os filhos precisam saber sua própria senha e somente sua senha. Certifique-se de guardar essas senhas em algum lugar seguro. Se seu filho usa celular, você também precisar criar uma senha para o seu filho – geralmente códigos de 4 dígitos. Mais uma vez, certifique-se que você saiba esses códigos e guarde-os em um lugar seguro.

Passo 2 : Cadastrar-se e Cria Contas

Com suas senhas no lugar, é hora de se cadastrar para os serviços que você irá utilizar. OpendDNS. Começaremos por instalando o OpendDNS. Visite OpenDNS (www.opendns.com) e procure pelo Parental Control Solution (Solucao de Controle dos Pais). OpeDNS Family Shield (Protetor Familiar OpenDNS) é um ótimo lugar para se começar (Outra opção é o Home VIP OpenDNS, uma solução de primeira qualidade e custa 19.95 dólares ao ano). Crie um conta de usuário para você usando sua senha master. Dê uma olhada em outras opções de filtragem e instale aquelas apropriadas para sua família. Independentemente do que você estabelecer aqui, isso será aplicado a todos os aparelhos que acessam a internet pela sua rede mãe.

Nota: é melhor instalar o filtro para bloquear mais coisas do que menos, e liberá-las se e quando você achar que esteja bloqueando muitos sites.

Covenant Eyes. Você instalou a sua filtragem; agora é hora de instalar o seu software de prestação de contas. Visite Covenant Eyes (www.covenanteyes.com) e crie uma conta usando sua senha máster. Adicione cada membro da sua família como usuário e use a senha que você criou para cada um deles.

Registre cada usuário para monitorar a prestação de contas e ter os relatórios enviados ao seu endereço de e-mail a cada 3 a 7 dias. Escolha um nível de prestação de contas adequado à idade e maturidade de cada um.

Se você quiser ter uma filtragem específica para um usuário, além da filtragem geral com OpenDNS, configure isso também. Escolha um nível de filtragem apropriado à idade e maturidade de cada pessoa. Também pode ser sábio desativar o acesso à Internet durante determinados períodos (Exemplo: Desabilitar todo o acesso à Internet para os seus filhos depois das 21:00 e antes das 7:00).

Nota: É melhor definir o filtro e prestação de contas para bloquear e denunciar mais e relaxar nos níveis de filtragem somente se e quando ele estiver “pesado”.

Computadores. Agora você precisa criar contas de usuário em cada um dos seus computadores e laptops e tablets (se eles permitem múltiplos usuários).

Para cada computador em sua casa, você terá de criar uma conta para cada pessoa que o usa. Isto significa que se há cinco pessoas na sua família e que cada uma usa o computador da família, você terá de criar cinco contas, uma para cada um deles.

Crie uma conta para si mesmo usando a senha master e configure para você privilégios de administrador.

Em seguida, crie uma conta de usuário para cada membro da família usando a senha que você criou para eles; certifique-se que eles não tenham privilégios de administrador.

Deixe-me dar um aviso: Este passo pode ser trabalhoso, especialmente se você tiver vários computadores. Persevere!

Passo 3: Instale o Software

Agora que nós criamos todas as contas, podemos instalar e ativar o OpenDNS e Covenant Eyes.

Instale o OpenDNS no seu roteador. OpenDNS é ativado com uma simples mudança no roteador da sua casa e administrado por uma interface online em www.opendns.com. Você terá que se dirigir a OpenDNS para aprender como mudar as instalações necessárias. Assim que você fizer isso, sua filtragem será ativada. Simples assim, você já começou a proteger a sua família.

Instale Covenant Eyes em todos os laptops e desktops da sua casa. Visite www.covenanteyes.com, entre na sua conta, baixe o software apropriado, e instale-o. Entre em cada conta em cada computador e se assegure de que o software Covenant Eyes está funcionado corretamente (procure pelo ícone “o olho aberto”).

Aparelhos de celular. Se você tiver decidido permitir o acesso de navegador em seus celulares, instale o navegador Covenant Eyes  (normalmente, visitando uma loja de aplicativos e baixando o aplicativo). Nota: Se você deseja ter Covenant Eyes  em seus celulares, você também vai precisar usar o Parental Controls (veja abaixo) para bloquear o acesso a qualquer outro navegador nesses dispositivos.

Consoles de Jogos. Remover o acesso do navegador de Internet em todos os consoles de jogos. Considere também remover o acesso ao YouTube, Netflix e outros sites de vídeo.

Outros dispositivos. Volte ao seu inventário e veja quais outros dispositivos que você precisará considerar. Seu plano só será forte quando atingir o seu ponto mais fraco.

Passo 4: Aplicando o Parental Controls

Instale Parental Controls em todos os celulares. Para que isso seja eficaz nos aparelhos dos seus filhos, você precisará definir uma senha de controle dos pais e usar essa senha para garantir que somente você tenha acesso aos controles parentais. Aqui estão as configurações que eu recomendo para os aparelhos utilizados por crianças:

Assegure que os aparelhos travem assim que não estiverem em uso.

Desligue navegador de web. Se seus filhos precisarem navegar na web, instale o navegador Covenant Eyes e use o Controle dos Pais para bloquear todos os outros navegadores.

Desligue a capacidade de instalar novos aplicativos sem introduzir a sua senha.

Desligue a capacidade de mudar a própria senha deles ou informações da conta.

Considere desligar Facebook, Twitter e outros aplicativos de mídia social (já que esses aplicativos têm, frequentemente, um navegador embutido que lhes permitirá visitar sites enquanto ignorando todos os softwares de prestação de contas).

Considere desligar o acesso a câmera se você estiver preocupado que o seu filho possa fazer um mau uso da mesma. Seja especialmente cauteloso com aplicativos que combinem mídia social com câmera (Snapchat, Instagram, etc). Parabéns! Você conseguiu. Você sabe quais são os aparelhos que você tem em casa e você lidou com cada um deles ao instalar filtros e o software de prestação de contas. Só há um problema: Todos na sua família estão chateados com você! Então agora é o momento para aquela reunião em família.

REUNIÃO

Nós tendemos a crer que problemas causados pela tecnologia podem se resolvidos com mais tecnologia. Entretanto, mais forte, melhor e duradouro do que a melhor tecnologia que há, é o caráter. A reunião da família é onde você discutirá e enfatizará a importância de um crescimento de caráter.

Eu sugiro ter uma reunião de família para discutir o sistema, e frequentes reuniões individuais com seus filhos para fazer perguntas especificas e pedir um retorno especifíco.

Passo 1: Reunião de família

O conteúdo da reunião de família irá depender em certo grau da idade dos filhos. Aqui estão algumas ideias para pontos de discussão:

Por causa do seu interesse do bem estar deles, você tomou algumas atitudes para protegê-los enquanto eles usam a internet. Explique que você não vê seus filhos como criminais ou viciados em pornografia, mas que você espera protegê-los de perigos da rede. Dependendo da idade dos seus filhos, talvez essa seja uma boa hora para explicar que há tantas pessoas que sofrem com pornografia que existe a possibilidade de que um dia eles irão enfrentar a tentação também.

Privacidade. Seus filhos – e especialmente os mais novos – não devem ter nenhum expectativa de privacidade quando eles usam os seus aparelhos. Eles devem saber que você tem a liberdade de checar os aparelhos sem a permissão deles e que tudo que eles fizerem online irá gerar um relatório que você irá monitorar. Você esta fazendo isso com o objetivo de ama-los e protegê-los.

Senhas. Todos devem saber a importância das senhas e que você espera que eles protejam a deles. Eles não devem compartilhar suas senhas com seus irmãos ou com seus amigos.

Prontidão. Você precisa falar com seus filhos sobre segurança na internet fora de casa. Converse com eles sobre o que fazer se eles estão acessando aparelhos em casas de outras pessoas. Explique a eles o que devem fazer se alguém lhes mostra material pornográfico ou qualquer outra coisa inadequada.

Mamãe e papai. Se vocês tiverem decidido que também irão manter o padrão e que irão usar software de filtragem e accountability (algo que eu recomendo!), Este é um bom momento para explicar para as crianças.

Passo 2: Reuniões individuais

Pais e seus filhos terão um beneficio tremendo por conversarem regularmente sobre os perigos online e suas preocupações. As conversas irão variar muito dependendo da idade e nível de maturidade da criança. Aqui estão algumas perguntas que você deve pensar em fazer:

Você tem se sentindo tentado em pesquisar por coisas que você não deveria na rede?

Você sabe se seus amigos estão vendo pornografia e falando sobre isso?

Você viu pornografia desde a última vez que nós conversamos?

Eu creio que você tenha se preparado para algum tipo de rejeição e frustração, especialmente no começo. Seus filhos provavelmente irão descobrir que eles não poderão acessar certos tipos de sites ou que eles precisão colocar senha onde antes eles não era necessário.

Sua esposa poderá descobrir que ela não poderá acessar certos tipos de site que ela quer.

Persevere, e resolva cada problema assim que ele surgir.

MONITORE

O plano está em vigor, e sua família agora esta se beneficiando de um certo nível de proteção. Mas esse não é um plano que você simplesmente começa e deixa seguir o seu curso. Ele requer monitoramento e manutenção.

Covenant Eyes Reports. Covenant Eyes irá enviar relatórios regularmente. Não espere que esses relatórios sejam tão uteis quanto você gostaria. Você ira precisar de tempo – dois ou três minutos – para analisar cuidadosamente o relatório procurando por qualquer coisa que pareça errada.  Acompanhe qualquer um dos seus filhos que o relatório tenha mostrado uma bandeira vermelha.

Relatório OPenDNS. OPenDNS também recolhe relatórios, incluindo páginas e pesquisas que tenham sido bloqueados. Enquanto você não descobre quem é responsável por esses bloqueios, seria bom ficar de olho neles, para procurar padrões, e assim por diante.

Ajuste. À medida que seus filhos crescem você pode achar que precisará ajustar seus privilégios. Você também descobrirá que, à medida que eles crescem, enfrentam maiores tentações que exigirá menos privilégios.

Mantenha. Covenat Eyes atualiza o seu software regularmente. À medida que eles fazem isso, você deverá instalar as novas atualizações.

CONCLUSÃO

E este é o plano para uma família livre de pornografia. Levará algumas horas de trabalho duro para instalar, mas é um tempo bem investido.

Mesmo assim esse não é um plano infalível – nenhum plano é infalível. Haverá maneiras de contornar isso para aqueles empenhados em encontrar esses caminhos. Covenant Eyes ocasionalmente irá bloquear alguma coisa que não seja perigosa; OpenDNS as vezes irá falhar em filtrar algo que obviamente deveria ter sido bloqueado.

Mesmo assim o plano será eficaz para a maioria das famílias na maioria dos casos. Você esta no caminho certo para ensinar e proteger seus filhos.

Confira a primeira parte aqui

Traduzido por Alessandra Brotto e gentilmente cedido pelo site Mulheres Piedosas | original aqui e aqui

Socorro! Meus filhos estão vendo pornografia!

No começo deste ano apresentei em minha igreja uma palestra por título “Por uma nova reforma na internet para os pais”, em meio a uma campanha de jejum e oração da igreja. O objetivo principal era conscientizar os pais sobre a necessidade deles estarem atentos à tudo que deixam os filhos fazerem na rede. Você pode conferir o áudio, slides e programas indicados clicando aqui.

Para complementar o assunto, compartilho na íntegra alguns textos de Tim Challies reproduzidos no site reforma21.org. Boa leitura.


Escuto com tanta, tanta frequência: “Socorro! Meus filhos estão vendo pornografia!”. Alguns dias atrás uma mãe escreveu pra contar que ela e seu marido permitiram que seus rapazes adolescentes acessassem a internet para jogar online, achando que eles haviam ensinado e treinado os garotos bem o suficiente para que resistissem a qualquer tentação que encontrassem lá fora. Eles estavam errados, e aprenderam que, durante os últimos quatro meses, quando mamãe e papai saíam de casa para um encontro ou pra resolver coisas, os rapazes ficavam vendo pornografia. O que eles deveriam fazer? Como devem responder?

Eu dediquei um monte de atenção ao longo dos últimos anos à luta contra a pornografia e gostaria de oferecer uma resposta em duas partes. Hoje irei apontar a resposta imediata e amanhã quero ajudar a bolar um plano que irá proteger sua família no futuro, tanto prevenindo aqueles que querem ver pornografia quanto protegendo aqueles que ainda não sabem que ela existe.

Por hoje, aqui vão algumas sugestões sobre como responder quando você descobrir que suas crianças estiveram procurando ou vendo pornografia.

Não se desespere

Pais diferentes reagem de formas diferentes quando se trata de seus filhos e pornografia. Alguns tratam de uma maneira pragmática enquanto outros respondem com mais emoção e podem ficar à beira do desespero. Cuidado com esses caminhos de desespero. Embora a situação seja difícil e dolorosa, não é o fim do mundo; não necessariamente significa que seus filhos não são salvos e certamente não significa que eles sejam réprobos. Ao ver pornografia eles abriram uma janela em seus corações e agora você tem a oportunidade de tratá-la de uma forma útil. Desespero só vai atrapalhar sua habilidade em tratar isso de forma efetiva.

Tenha cuidado com a vergonha

Pode existir uma tendência de criar vergonha sobre vergonha, para assegurar-se de que seus filhos estão sentindo a vergonha que eles deveriam sentir. Seja cuidadoso com a vergonha. Nosso objetivo é que o Espírito Santo convença seus filhos de sua culpa mais do que a mamãe e o papai fazerem com que sintam uma profunda vergonha. É bem possível que você está se sentindo embaraçado ou um sentimento de falha como pai, e isso pode levá-lo a ser mais duro do que deveria. Seu objetivo não é convencer seus filhos da vergonha deles diante da mamãe e do papai, mas cooperar com o Espírito Santo enquanto Ele os convence de sua culpa diante de Deus.

Faça perguntas

O que quer que você faça, você tem que se comunicar com seus filhos. É fácil para um pai assumir que ele sabe por que suas crianças estavam vendo pornografia, mas eu aprendi ao longo dos anos que há uma miríade de rasões. Algumas crianças vêem pornografia puriosamente por lascívia e curiosidade; algumas fazem isso primariamente para alimentar a masturbação; outras o fazem por um desejo de serem desobedientes ou agirem contra as figuras de autoridade em suas vidas; algumas vêem pornografia como uma resposta a um abuso que sofreram no passado. Enquanto a tentação é de ameaçar seus filhos com os motivos pelos quais eles não deveriam ver pornografia, seu tempo será gasto de uma maneira muito mais efetiva se você conseguir ir devagar, fazer um monte de perguntas e envolvê-los em uma conversa. Descobrir onde está o fascínio. Encontrar qual necessidade isso parece estar atendendo. Prepare-se para discussões incômodas sobre tópicos que você não quer discutir, como masturbação e até abuso. Não deixe que o mau comportamento deles o distraia de confrontar seus corações.

Vá ao evangelho

Eu disse mais cedo que ao ver pornografia seus filhos abriram uma janela para seus corações. Eles a abriram e apontaram um holofote para um pecado específico. Eles mostraram que estão insatisfeitos, que são lascivos, que são desobedientes a Deus e aos seus pais. É para esse tipo de pessoa que é o evangelho – para os insatisfeitos e lascivos e desobedientes. Tudo isso dá uma poderosa oportunidade para ir diretamente ao evangelho. O evangelhos os oferece perdão, mas também oferece esperança de que eles possam derrotar esse pecado, de que eles possam ser resgatados da culpa do pecado, de que eles podem encontrar uma satisfação mais profunda e duradoura do que aquela que a pornografia promete. Como sempre, o coração é o coração da questão.

Rogue a eles

Eu creio que como um pai você tem muitas oportunidades de ensinar seus filhos, mas apenas umas poucas oportunidades de realmente pleitear com eles. Este é um momento para pleitear com eles, para interceder por suas vidas e para suplicar por suas almas. Você é mais velho e mais sábio que seus filhos, você entende a Bíblia mais do que seus filhos, e você conhece o custo a longo prazo de um compromisso com o pecado sexual. Se pode haver um tempo certo para pleitear com eles por sua vida e por suas almas, este tempo é agora. Deixe Salomão lhe dar as palavras:

Agora, pois, filho, dá-me ouvidos
e não te desvies das palavras da minha boca.
Afasta o teu caminho da mulher adúltera
e não te aproximes da porta da sua casa;
para que não dês a outrem a tua honra,
nem os teus anos, a cruéis;
para que dos teus bens não se fartem os estranhos,
e o fruto do teu trabalho não entre em casa alheia;
e gemas no fim de tua vida,
quando se consumirem a tua carne e o teu corpo,
e digas: Como aborreci o ensino!
E desprezou o meu coração a disciplina!
E não escutei a voz dos que me ensinavam,
nem a meus mestres inclinei os ouvidos!
Quase que me achei em todo mal
que sucedeu no meio da assembléia e da congregação.

(Provérbios 5.7-14)

Você está lutando não apenas pela pureza pessoal mas pelas suas vidas. Rogue-lhes que salvem suas vidas e que salvem suas almas!

Tome medidas cuidadosas

Ao ver pornografia seus filhos violaram a sua confiança e se mostraram indignos dela. Esta confiança precisará ser merecida ou reconquistada ao longo de um período enquanto eles provam que são responsáveis e obedientes. Você precisa estar ativamente envolvido em treinar seus filhos a usar bem seus privilégios e a usar a internet e seus aparelhos digitais sem este tipo de comportamento. Você precisa de um plano que vai ser responsável por seus dispositivos e por sua falta de caráter cristão. Eu vou apresentar este plano no próximo post.

Traduzido por Daniel TC | Reforma21.org | Original aqui

Moças e rapazes solteiros podem ser apenas amigos?

Semana passada estava muito feliz com um dos meus amigos solteiros, Roman, pois ele acredita ter encontrado a garota com quem deseja se casar. Naturalmente, estou feliz por ele e espero poder comparecer ao seu casamento. Meu desejo é que todos os meus amigos solteiros possam se casar.

Mas também me preocupa um pouco saber que muitos solteiros que eu queria que se casassem tem poucos amigos próximos do sexo oposto. Algo surgiu na cultura cristã que desencoraja amizades normais entre garoto e garota. É como se tivéssemos medo de que eles acabem indo para a cama se conversarem por mais de uma hora e compartilharem suas esperanças, medos ou lutas.

Enquanto isso, pressionamos rapazes e moças a se casarem se se tornam amigos (hmmmm Gina, eu vi você com o Brad ontem. Tem algo rolando entre vocês dois?”). Por que Gina e Brad não podem apenas se encorajarem em suas caminhadas com Deus sem fazerem muito caso de seu relacionamento? É possível para rapazes e garotas cristãs construir amizades saudáveis sem assumir que irão para o altar?

Eu creio que isso é possível. Aqui estão alguns pontos para desenvolver relacionamentos assim:

1. Veja seus amigos como família. Paulo disse a Timóteo que deveria tratar mulheres mais velhas como mães e mulheres mais novas como irmãs (cf. 1 Timóteo 5.2). A mesma regra se aplica às garotas: vocês deveria ver seus amigos cristãos homens como irmãos. Ter essa atitude de pureza de coração torna possível uma amizade. Se um rapaz vê sua amiga mulher como uma irmã, ele não vai desejar seu corpo; pelo contrário, seu instinto será de encorajá-la. Se uma jovem vê seu amigo homem como um irmão, ela cuidará dele e orará por ele sem esperar que ele tenha sentimentos sexuais por ela.

2. Evite a “pressão dos pares”. Em muitas igrejas hoje já uma pressão incrível para encontrar “a pessoa certa” que vai te tirar do mercado. Se você está carregando esse fardo, cada amizade com uma pessoa do sexo oposto pode ser um peso. “Ela é a pessoa certa?”. “Será que ele gosta de mim?”. “Como eu deveria me vestir?”. Essas preocupações se tornam ansiedade que pode arruinar a alegria da vida. Confie em Deus seu desejo de um cônjuge. Se você não se despreocupar, pode parecer desesperado – e isso é muito ruim. Pare de tentar fazer algo acontecer e apenas aproveite a oportunidade de conhecer uma pessoa nova. Lembre-se do Salmo 37.4: “Agrada-te do SENHOR, e ele satisfará os desejos do teu coração.”

3. Diga adeus ao embaraço. Antes de nos casarmos, minha esposa e eu temíamos os encontros. Chamar alguém que você mal conhece e convidá-lo para jantar ou ver um filme é assustador – e essa é a razão pela qual muitos rapazes cristãos ainda estão solteiros aos 35. Enquanto isso, garotas cristãs ouvem que devem esperar os rapazes darem o primeiro passo e assim são condicionadas a esperarem “o convite”. Você pode deixar de lado todo esse embaraço organizando encontros de grupo: saia com vários amigos para tomar café, convide-os para cozinhar alguma coisa ou dê uma festa. Então apenas aproveitem a companhia uns dos outros. E garotas: sintam-se à vontade para iniciar os convites!

5. Não permita qualquer tipo insinuação. A mensagem que recebemos da mídia é que tudo é sexo. Mas como cristão, você não precisa de dobrar perante esse ídolo. Você pode ter uma amizade significativa com uma pessoa do sexo oposto sem precisar ir para a cama com ela. Mas se você pretende manter o relacionamento puro, você precisará estabelecer alguns limites óbvios. Use o senso comum. Não use roupas reveladoras. Não se toquem de forma inapropriada. E não passe a noite na casa um do outros em nome da “amizade”. Se vocês são amigos verdadeiros, irão respeitar um ou outro o suficiente para evitar um pecado sexual do qual irá se arrepender depois.

6. Mantenha suas amizades centradas em Cristo. Hebreus 3.13 diz: “pelo contrário, exortai-vos mutuamente cada dia”. Esse verso se aplica a homens e mulheres solteiras também. Nós precisamos do encorajamentos uns dos outros, e Deus quer que os membros solteiros da igreja estejam envolvidos nas vidas uns dos outros. Suas ligações, mensagens e conselhos honestos podem ser o que impulsiona os projetos de seus amigos; sua bondade e suas orações podem ser o que os ajudam a superar crises difíceis. Mantenha Jesus no centro de suas amizades e não perca a bênção que esses amigos podem ser para você.

 

POR J. LEE GRADY
Traduzido por Filipe Schulz | Reforma21.org | Original aqui

8 passos para lidar com pessoas difíceis

“Pastor Ken, eu estava aqui antes de o senhor chegar, e eu estarei aqui depois que o senhor tiver ido embora”.  Um membro antigo da minha primeira igreja disse isso há mais de 40 anos, quando ela e eu tivemos uma divergência sobre a missão da igreja. Foi uma discussão amigável, mas os limites foram claramente desenhados de formas intratáveis. Embora ela não tivesse nenhum cargo, ela era o “E.F. Hutton” da igreja: quando ela falava, todos escutavam.

Não foi exatamente assim que pensei que seria o início do meu ministério pastoral, mas isso se tornou uma oportunidade para a congregação trabalhar através das diferenças teológicas. A igreja, localizada em uma comunidade costeira singular e pitoresca, onde muitos turistas passavam o verão, era uma fusão de várias igrejas ao longo do ano. Como resultado, ela representava tanto perspectivas evangélicas conservadoras quanto teologicamente liberais sobre a fé e o ministério.

No nosso desacordo sobre a missão da igreja, minha preocupação era de que a igreja mantivesse um testemunho gracioso e bíblico na comunidade, bem como adorasse o único Deus verdadeiro de uma maneira que apoiasse a verdade bíblica. A mulher queria que a igreja não fosse nada mais do que um clube social formal. Ela também queria que a igreja protegesse um grupo feminino associado à igreja que era composto, em sua maioria, por pessoas da comunidade que não eram cristãs ou membros da igreja. Esse grupo era conhecido por hospedar as melhores feiras de Natal e verão na região, mas não tinha nada a ver com Deus. A questão se complicava com o fato de que esse grupo havia levantado o dinheiro para redecorar a casa pastoral de 150 anos logo antes da minha família mudar-se para lá.

Embora os evangélicos na igreja fossem uma forte maioria, nós éramos sensíveis à história da igreja com as suas diversas perspectivas teológicas. Além disso, nós éramos a única igreja em um distinto bairro da cidade. Por isso, nos movíamos lenta e deliberadamente. Foram necessários quase quatro anos para a igreja trabalhar essas tensões. No fim das contas, a congregação votou a favor de se alinhar exclusivamente a convicções evangélicas de verdade bíblica, e o grupo comunitário foi convidado a se desassociar da igreja, o que eles fizeram, mas não sem lágrimas e tristeza.
Tem sido um prazer servir outras igrejas como pastor e pastor interino ao longo dos anos, e tiveram líderes capazes e eficazes que amavam o Senhor e estavam dispostos a seguir o ensinamento bíblico. Na minha primeira igreja e nas subsequentes, aprendi alguns princípios sobre como lidar com pessoas difíceis. Aqui estão oito:

  1. Ore. É necessário que isso seja dito, pois na oração nós entregamos a questão a Deus e à obra do Espírito Santo de fazer a vontade de Deus. Orar não é pedir que seja feito do meu jeito, mas do jeito de Deus. É pedir por sabedoria, discernimento, coragem, graça e paciência, qualidades que precisamos especialmente no trabalho com líderes difíceis.
  2. Trabalhe com aqueles que você consegue. Busque aqueles que amam o Senhor e a sua verdade e estão comprometidos com o bem-estar da igreja. Discipule-os e encoraje o envolvimento deles na liderança.
  3. Pregue a Bíblia graciosa e redentivamente. Pregação cuidadosa, atenciosa e criteriosa tem um grande potencial de ajudar pessoas difíceis a amadurecerem na fé e a crescerem em piedade. Também edifica aqueles que têm um profundo comprometimento com a verdade de Deus, para que acompanhem você e trabalhem com pessoas difíceis na igreja.
  4. Seja honesto, mas discreto. Não faça fofocas sobre pessoas difíceis, mas esteja disposto a humildemente, mas diretamente, confrontá-las — ou “amor-frontar” como David Augsberger gosta de dizer — na esperança de que elas mudem ou vão embora. Às vezes é melhor fazer isso com um líder de confiança ao seu lado. Isso evita que conversas sobre o evento se tornem a sua palavra contra a da outra pessoa, sempre que a questão for além da conversa privada.
  5. Tenha uma visão de longo prazo. Deus é paciente, e a forma como ele tece as coisas é frequentemente diferente da nossa. Perceba que somos apenas parte do seu plano para a igreja. Uma pessoa planta, outra rega, mas é Deus quem dá o crescimento.
  6. Lembre-se que os membros pertencem a Deus. Nós nos referimos aos membros como “minha igreja”, mas sabemos que eles pertencem a Deus, não a nós. Assim, podemos entregá-los a Deus — às vezes com lágrimas e frustração — sabendo que Deus opera todas as coisas de acordo com o seu bom propósito.
  7. Confie em Deus. Alguém disse certa vez: “Deus é quem dá a cura; eu sou apenas o cuidador”.  Essa perspectiva nos capacita a confiar que Deus agirá conforme ele desejar para o bem dos membros e para o bem maior da igreja.
  8. Aprenda com a experiência. Um sábio líder cristão disse certa vez para um grupo do qual eu fazia parte: “Experiência pessoal é o único tipo de experiência que eu já tive”.  Então, não se desculpe pela experiência, incluindo os erros, mas aprenda a partir deles, sabendo que Deus usa a nossa experiência pessoal como campo de treinamento para futuros conflitos. Assim como a maioria dos pastores, eu prefiro ser um guardião da paz do que um pacificador, mas também aprendi que dolorosas experiências passadas, como na minha primeira igreja, me ajudam a lidar com dificuldades futuras com confiança e humildade (e essas duas qualidades podem conviver juntas).

Todo ministério, incluindo trabalhar com pessoas difíceis, é obra de Deus. Por isso podemos ser profundamente gratos, mesmo que seja doloroso e nós nem sempre entendamos o que está acontecendo. Afinal, não se trata de nós, mas de Deus.

 

Por Ken Swetland. Extraído do site www.9marks.org.Copyright © 2014 9Marks. Original: 8 Steps for Dealing with Difficult Leaders

Este artigo faz parte do 9Marks Journal.

Tradução: Alan Cristie. Revisão: Renata do Espírito Santo – © Ministério Fiel. Todos os direitos reservados. Website: www.MinisterioFiel.com.br. Original: 8 Passos para Lidar com Pessoas Difíceis

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.