O músico e seu caráter

1 Samuel 16:14-23 – Davi tange sua harpa perante Saul

Antes de Davi passar por essa experiência, ele foi ungido por Samuel  por ordem de Deus que disse: … Enche o teu vaso de azeite e vem; enviar-te-ei a Jessé, o belemita; porque dentre os seus filhos me tenho provido de um rei (1 Sm 16:1-13).

Quando Samuel chegou a casa de Jessé viu um de seus filhos e pelas suas características muito indicadas para um rei, Samuel pensou ser Eliabe a quem deveria ungir. Samuel olhou para sua aparência física. Mas, Deus o advertiu no versículo 7: “Não atentes para a altura de sua estatura, porque o tenho rejeitado; porque o Senhor não vê como vê o homem. Pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração“.

Deus está preocupado com nossos sentimentos e nossos desejos porque A VIDA DE UM HOMEM IRÁ REFLETIR O SEU CORAÇÃO. Em Mateus 12:34 lemos: Como podeis falar coisas boas, sendo maus? Por que a boca fala do que está cheio o coração.

Vejamos 10 pontos relevantes que determinarão a maneira como seremos vistos. Saibam que esses pontos não serão regras, mas serão condutores para uma vida que Deus espera de nós:

1 – Deus não está preocupado com nossa aparência. Ele não olha o que o homem olha. DEUS NOS JULGA POR NOSSA FÉ E NOSSO CARÁTER.

Davi não só tocava como criou vários instrumentos musicais, mas não procurava estar no meio das possibilidades humanas, não se valia de sua beleza nem deixava de trabalhar porque aguardava o “mais de Deus”.

– Davi não entendia que o seu trabalho era pequeno diante daquilo que Deus faria em sua vida;

– Deus viu Davi onde ninguém viu.

Quando o espírito mau se apoderou de Saul, um moço indicou um filho de Jessé. Ele falou de Davi. Irmãos, se Davi não tocasse bem, ele não seria indicado. Portanto, se você é um levita, busque fazer bem feito.

Davi tinha algumas características que precisamos adquirir:

– Tocar bem

– Ser animoso (ter ânimo, coragem)

– Valente

– Homem de guerra

– Sisudo em palavras (prudente)

– De gentil presença

O que na verdade quero destacar na vida de Davi é que antes dele ser um grande líder, ele foi um grande adorador. Davi pecou como qualquer outro ser humano, mas se tornou “homem segundo o coração de Deus” porque reconhecia seus erros e se arrependia.

Quando você foi indicado por seu pastor ou qualquer outra pessoa como alguém que tocando ou cantando, algo novo aconteceria na vida de um necessitado de cura ou de salvação? Davi representou alguém assim por causa de sua vida, por aquilo que Deus via em seu coração. Davi foi excepcional em sua habilidade musical e era uma referência em sua reputação.

Como as pessoas ou a igreja olha pra você quando não está tocando ou cantando? Como você é visto sem seu instrumento ou sem um microfone? Você tem sido referência de que? Quantos bons tocadores e cantores nós temos em nosso meio? Quanto talento! Porém…

2- DEUS NÃO QUER SUA MÚSICA, ELE QUER SUA ADORAÇÃO.

Pra isso você precisa se preocupar com sua vida, sua conduta e com seu caráter. Ele espera que você seja “exemplo dos fiéis… na palavra, no trato, na caridade, no espírito, na fé, na pureza” (1 Tm 4:12). Então, quem é você sem sua ” harpa”?

Nós que estamos diante do povo de Deus, somos observados o tempo todo. Como disse o moço; “… tenho visto o filho de Jessé“.

3 – O QUE É DITO A NOSSO RESPEITO AFETA A ACEITAÇÃO DA NOSSA PESSOA E INTERFERE NO RESULTADO DO NOSSO TRABALHO.

Queridos, carisma é diferente de caráter! Muitas pessoas têm um carisma impressionante. Somos atraídos por elas e muitas vezes enganados pela maneira que se apresentam.

Davi  era uma pessoa disposta e disponível. Atendia a tudo. Assim são muitos músicos, sendo que alguns deles não têm vida em Deus.  Por saberem tocar bem e estarem sempre à disposição, os pastores lançam mão sem conhecerem seu caráter. Com isso, o louvor fica comprometido.

Esse tipo de músico sobe no altar, são marrentos, envolvem a igreja e quando descem recebem tapinhas nas costas e ouvem: “Você é demais!“; “Olha, fulano até que é legal, mas você…“; “Cara, a galera se amarrou nas firulas que você fez!“. Mas, é claro que essa disposição dura pouco. Porque o que vemos na maioria das igrejas, são músicos que tornando-se úteis para o trabalho, tornam-se também dificultadores do bom andamento dele.

Se os músicos não forem confrontados, a igreja se impressionará com seu carisma e sua performance, mas não teremos músicos íntegros e retos.

4 – PRECISAMOS DE LÍDERES QUE ENXERGUEM COM OS OLHOS DE DEUS, que tenha autoridade nEle e unção pra cuidar dessas vidas.

Depois de cada execução ou de cada ministração, esses músicos escutam os aplausos da platéia, manifestação do povo em adoração a Deus, mas que é recebida para exaltação do homem. Davi era fiel a Deus mesmo sem platéia. Davi adorava a Deus sem que ninguém o visse.

Como é sua vida diária de busca e entrega a Deus?

Estamos muitas vezes tão preocupados com o “serviço ao Senhor”, passamos horas na igreja preparando tudo e não O buscamos e nem entregamos a Ele nosso culto pessoal.

5 – O QUE VAI ACONTECER NO “PALCO” SERÁ O RESULTADO DAQUILO QUE SOU FORA DELE.

Muitas vezes olhamos o retorno positivo da igreja ao que estamos fazendo e tomamos aquilo pra nós. Deus é tão misericordioso que Ele não deixa de abençoar seus filhos, de salvar vidas porque aquele que está lá na frente não é digno do que faz. Ele pode não retirar você de imediato. Talvez ele deixe você durante anos fazendo o que faz e vivendo de maneira desagradável a Ele, mas, não se iluda, Ele vai agir.

Davi cresceu diante do povo de Israel, mas continuou fiel a Deus.

6 – PRECISAMOS TROCAR NOSSA VIDA DE RELIGIOSIDADE POR UMA VIDA CHEIA DO ESPÍRITO SANTO DE DEUS.

Precisamos nos encher do Espírito de Deus pra que Ele mude nossos pensamentos, motivações e atitudes, pois assim teremos um coração purificado.

É urgente a necessidade de organizar tudo porque Aquele que deve ser adorado está sempre conosco. Não podemos pedir licença pra Ele enquanto vamos realizar coisas que O desagradam. Se Ele sair de você, quem vai dominar sua vida?

7 – SOMOS PRIVILEGIADOS PORQUE O REI DOS REIS HABITA EM NÓS. SOMOS SUA CASA, SUA HABITAÇÃO.

Falando sobre isso, me lembro do fato quando Jesus vai à casa de Marta por causa da morte de Lázaro. Naquele momento em que Jesus esteve ali diante delas, Marta, também uma adoradora, mulher desejosa de fazer o melhor pra Jesus, se perdeu nos afazeres. Marta não tinha a casa preparada para recebê-Lo e se atrapalhou, enquanto Maria se derramou na presença dEle.

Muitos têm perdido a oportunidade de viver uma vida de adoração porque suas vidas estão desorganizadas.

8 – PRECISAMOS LIMPAR TUDO “ANTES QUE ELE CHEGUE”.

Queridos, façam isso agora! Mas, não joguem a sujeira pra debaixo do tapete. Davi cometeu pecados que hoje diríamos que foram pecados absurdos. Se é que podemos falar assim. Porém, Davi confessava. Quer dizer, nada ficava escondido.

Então, procure “apresentar-te a Deus aprovado como obreiro que não tem do que se envergonhar…” . Isso está em 2 Timóteo 2:15. Deus levantou Davi porque ele foi “varão conforme o coração de Deus, que cumpriu toda a Sua vontade”.

9 – NÃO DEIXE QUE SEU SERVIÇO SE TRANSFORME EM ALGO QUE VISE O SEU PRÓPRIO INTERESSE.

Se for dessa maneira, as coisas serão realizadas do nosso jeito. Precisamos lembrar que o que somos, somos por Deus. Saul foi levantado por Deus e retirado por Ele. No início, Saul não procurou glória pessoal. Mas, sua autoconfiança aumentou e diminuiu sua confiança no Senhor. Ele desobedeceu porque não cumpriu a vontade de Deus e teve seu coração endurecido. Ele passou a fazer o que achava que deveria fazer.

10 – SE VOCÊ NÃO FOR O QUE DEUS ESPERA , ELE O RETIRARÁ DO LUGAR QUE VOCÊ PENSA QUE É SEU.

Se a obra de Deus não for feita da maneira dEle, que propósito haverá naquilo que está sendo realizado? Deus quer nos usar como instrumentos afinados em suas mãos

Por Paula T. Santos

Fonte: http://www.fazchover.com.br

Viva para Deus

Precisamos crer que o nosso eu já foi crucificado com Cristo, e também crer que Ele está vivendo em nós. Se nossas atitudes são muito diferentes das atitudes de Cristo, precisamos verificar se realmente estamos mortos para o pecado. Este é o processo de santificação. Quanto mais percerbemos nossas atitudes erradas, comparando-as com as atitudes de Cristo, mais nos arrependeremos, e submeteremos nossas vidas a Ele, e pela fé viveremos de vitória em vitória. (Pr. Edison Queiroz)

Pois eu pela lei morri para a lei, a fim de viver para Deus. Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé no filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim. Gálatas 2.19-20

Unidade Constituída por Deus

Por Christie Tristão

Escolhi este tema para compartilhar com vocês hoje, porque creio que este é um assunto de extrema importância dentro do contexto Ministério de Louvor. Quando falamos de Ministério de Louvor, estamos nos referindo a um grupo de pessoas reunidas para cumprir um propósito. A respeito do propósito já compartilhamos nos artigos anteriores, e hoje iremos tratar de alguns pontos referentes aos relacionamentos dentro das equipes.

Um dos grandes desafios que enfrentamos na igreja de um modo geral, em relação ao cumprimento do propósito (a grande comissão) é a falta de unidade. No livro de João capítulo 17 em sua oração Jesus intercede ao Pai em relação à unidade com uma finalidade: “Minha oração não é apenas por eles. Rogo também por aqueles que crerão em mim, por meio da mensagem deles, para que todos sejam um, Pai como tu estás em mim e eu em ti. Que eles também estejam em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste. Dei-lhes a glória que me deste, para que eles sejam um, assim como nós somos um: eu neles e tu em mim. Que eles sejam levados à plena unidade, para que o mundo saiba que tu me enviaste, e os amaste como igualmente me amaste.” João 17: 20-24

Como igreja, corpo de Cristo nós temos uma missão a cumprir na terra. Fomos alcançados pela salvação, pelo amor de Deus e assim nos tornamos parte de um todo sobre o qual o cabeça é Cristo. A nossa conversão à Cristo significa renunciar o meu “eu” e me encher Dele. “Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou mais eu quem vive, mas Cristo vive em mim.” Gálatas 2:20 A nossa missão será cumprida de fato, quando entendermos que para alcançar o propósito precisamos nos esvaziar de nós mesmos e nos render à vontade de Deus, assim como Jesus nos ensinou. “Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus, que embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo que devia apegar-se; mas esvaziou a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens.” Filipenses 2: 5-7

Caminhar em unidade, renunciar o “eu”, tomar a nossa cruz, só se torna possível pela obra e graça de Deus em nós em resposta à nossa decisão pessoal de nos render ao senhorio Dele. Uma das grandes dificuldades que enfrentamos no grupo de louvor é referente aos relacionamentos de um modo geral. Toda equipe é formada indivíduos diversos, que trazem consigo uma bagagem (emocional e espiritual) distinta e pessoal. No caso do ministério de louvor, a equipe é formada por músicos que têm no seu DNA natural mais sensibilidade, necessidade de reconhecimento dentre outras características. Estas características sem a cruz de Cristo, elas se tornam grandes problemas e até mesmo um impedimento para o cumprimento do propósito que é servir à Deus e as pessoas. Um grupo de músicos cheios de si mesmo não chega a lugar nenhum, pode aprender a executar com beleza e arte a música, mas não passa disto.

Fomos chamados por Deus para vivermos o sobrenatural e irmos além de uma boa música. Temos um chamado para proclamarmos uma mensagem viva que transmite vida às pessoas. Só alcançaremos este propósito se decidirmos renunciar a nós mesmos e buscar de fato viver em unidade em Cristo Jesus.

Eu poderia enumerar vários problemas que acontecem comumente em nossas equipes em detrimento da falta de unidade, mas eu não teria como te apontar soluções humanas estratégicas que poderiam de fato solucionar os mesmos. A verdadeira solução não virá através de estratégias humanas, reuniões de unidade, ou qualquer outra atividade que não estiver respaldada e alicerçada nos princípios de Deus. Vejo em muitos lugares líderes cansados e desanimados pela falta de unidade dentro de suas equipes, tenho encontrado também pastores frustrados e desencorajados com a equipe de louvor, por outro lado existem queixas das equipes em relação ao relacionamento com os pastores e líderes. Enfim, onde há pessoas, há problemas, e onde há Deus há soluções. Eu gostaria de encerrar esta reflexão citando um texto maravilhoso que traz resposta para esta questão:

“Portanto, lembrem-se de que anteriormente vocês eram gentios por nascimento e chamados incircuncisão pelos que se chama circuncisão, feito no corpo por mãos humanas, e que naquela época vocês estavam sem Cristo, separados da comunidade de Israel, sendo estrangeiros quanto às alianças da promessa, sem esperança e sem Deus no mundo. Mas agora em Cristo Jesus, vocês, que antes estavam longe, foram aproximados mediante o sangue de Cristo. Pois ele é a nossa paz, o qual de ambos fez um e destruiu a barreira, o muro de inimizade, anulando em seu corpo a Lei dos mandamentos expressa em ordenanças. O objetivo dele era criar em si mesmo, dos dois, um novo homem, fazendo a paz, e reconciliar com Deus os dois em um corpo, por meio da cruz, pela qual ele destruir a inimizade. Nele vocês também estão sendo edificados juntos, para se tornarem morada de Deus por seu Espírito.” Efésios 2: 11-16, 22

Conclusão: Só cumpriremos de fato o propósito se caminharmos em unidade, se compreendermos este caminho de renúncia, esvaziamento do “eu” e enchimento de Deus. A verdadeira unidade é constituída por Deus e não por homens.

Aplicação: Gostaria de sugerir um encontro com o seu grupo para a reflexão deste tema e a partir daí definir um tempo de oração, jejum, e consagração em busca da unidade que é gerada por Deus.

Louvor mal-feito

Este artigo da Raquel Emerick traduziu os que eu andava pensando.

Por que vemos na Igreja de hoje louvor tão mal-feito? Por que os músicos do mundo são melhores do que a maioria dos músicos da igreja? Por que não temos qualidade nas músicas da igreja?

Bem, algumas questões como esta me deixam por vezes chateada ao ver em nossas igrejas, músicas mal ensaiadas, orquestras desafinadas, instrumentos mal tocados, sem contar ministros mal preparados espiritualmente falando, não levando as coisas a sério! Graças a Deus o Senhor tem restaurado o Altar de Sua Igreja quanto à postura do adorador, e muitas pessoas têm sido acordadas pelo Santo Espírito para se consagrarem e separarem a Deus!

Mas e quanto ao lado técnico? Será que podemos simplesmente orar, e não precisa ensaiar tanto, já que existe a unção de Deus? É triste ver como pessoas entram no louvor da Casa do Senhor, simplesmente achando que já sabem tudo. Às vezes, é até pior. Só porque sabem alguns poucos tons no violão, alguns acordes do teclado, ou um pouquinho de flauta, sax, ou o que seja, já começam a tocar, e acabam parando de estudar! Será que Deus aceita isso? Por que os músicos do mundo ensaiam infinitas horas?

Estes dias, eu estava meditando na Palavra de Deus e li algo que entra neste assunto de excelência! A Bíblia conta sobre como a rainha de Sabá se sentiu quando viu a excelência do trabalho do rei Salomão. Se você examinar o texto de II Cr. 9:1-8, você vai ver. Leia isto: “Vendo, pois, a rainha de Sabá a sabedoria de Salomão, e a casa que edificara; e as iguarias de sua mesa, o assentar dos seus servos, o estar dos seus criados, e as vestes deles; e os seus copeiros, e as vestes deles; e a sua subida pela qual ele chegava à casa do Senhor, ela ficou como fora de si…”

O que a rainha de Sabá viu, a fez elogiar o rei Salomão. A palavra diz que ela ficou como fora de si. Mas muito mais importante do que isto, sua excelência fez com que ela louvasse a Deus, adorasse ao Senhor por tudo aquilo que ela tinha visto: “Bendito seja o Senhor, teu Deus, que se agradou de ti para te colocar no seu trono como rei para o Senhor teu Deus.” (v. 8). Ela exaltou a Deus: “Bendito seja o Senhor”.

Temos que buscar excelência em tudo o que fazemos para o Senhor! Ele merece o melhor de nós. Não é porque queremos impressiona-lo. Nem mesmo o melhor cantor ou instrumentista jamais poderia impressiona-lo! Ele tem em frente de Si corais de anjos, melodias lindíssimas e incomparáveis! Mas quando damos a Ele o melhor que podemos fazer, isto mostra que nosso coração sente vontade de oferecer sacrifícios de louvor, de dar a Ele algo que nos custe; mostra a gratidão de nossos corações, e espelha na verdade uma característica de Jesus: EXCELÊNCIA!

Espero que possa ter lhe ajudado em alguma coisa. Que você disponha seu coração a fazer o melhor para nosso Amado!

A serviço do Rei, olhando para o alto
Raquel Emerick
http://www.ministerioalem.com
raquelcpn@hotmail.com

*Publicado originalmente aqui