fbpx

O que pertence ou não ao culto cristão?

 Para alguns cristãos, a resposta a essa pergunta parece dolorosamente óbvia: “Deus nos dá liberdade para que  o cultuemos seja lá como quisermos. Nós deveríamos  fazer o que quer que o Espírito Santo nos inspire a  fazer – afinal, nós não queremos apagar o Espírito!”

• Mas e se alguém desejasse cultuar a Deus  prostrando-se diante de uma imagem dele?

• Certo, então talvez haja algumas coisas que não  deveríamos fazer como se fosse culto, por exemplo,  pecar. Mas isso significa que, desde que não estejamos  pecando, podemos cultuar a Deus seja lá como quisermos?

• De modo nenhum. A Bíblia indica que, em nosso culto  corporativo, os cristãos deveriam fazer apenas aquelas  coisas que Deus positivamente exige de nós, seja por  mandamento ou por inferência. Diversas linhas de  evidência bíblica dão suporte a essa posição:

• Somente Deus tem o direito de determinar como ele  deve ser adorado (Lv 10.1-3; Jo 4.20-26; 1Co 14).

• O segundo mandamento proíbe não apenas adorar  outros além do único Deus verdadeiro, mas também  adorar o Deus verdadeiro de um modo que ele não  ordenou (Êx 20.2-6).

• Dado que: a fé é uma resposta afirmativa à revelação  de Deus. Dado que: tudo o que não provém de fé é  pecado (Rm 14.23). Logo: Deus não aceitará nenhuma  adoração que não seja uma resposta afirmativa a sua  revelação.

• Dado que: o Novo Testamento requer que os cristãos se reúnam regularmente (Hb 10.25). Dado que: não se  deve exigir que os cristãos se submetam a regras e  práticas inventadas pelo homem (Cl 2.16-23). Logo:  qualquer igreja que, efetivamente, exija dos cristãos  reunidos que participem em uma prática que Deus não  prescreveu de modo expresso estão injustamente  constrangendo a consciência desses cristãos. Em  outras palavras, porque a consciência desses cristãos  deve se manter livre de requerimentos humanos,  nenhuma igreja tem o direito de corporativamente  adorar a Deus de um modo que ele não tenha  afirmado.

• Como, então, nós decidimos o que pertence ou não a  um culto cristão? Nós examinamos a Bíblia para  descobrir o que Deus disse que os cristãos deveriam  fazer ao se reunirem. Então nós fazemos todas as  coisas que Deus nos diz para fazer, e nada mais.

(Parte deste material foi adaptada do capítulo “Does God  Care How We Worship?”, de Ligon Duncan, em Give Praise to  God: A Vision for Reforming Worship, editado por Philip  Graham Ryken, Derek W.H. Thomas e J. Ligon Duncan, III  [Phillipsburg: P&R Publishing Co., 2003, sem tradução em português], p. 20-50.)

O que o Novo Testamento Diz que as Igrejas Deveriam Fazer ao se Reunirem?

O Novo Testamento diz que, quando as igrejas se reúnem,  elas deveriam ler a Bíblia, pregar a Bíblia, orar a Bíblia,  cantar a Bíblia e ver a Bíblia.

1. Ler a Bíblia: Paulo disse a Timóteo: “dedique-se à  leitura pública da Escritura” (1Tm 4.13, NVI). As igrejas  deveriam ler a Escritura, em alta voz, durante suas  reuniões.

2. Pregar a Bíblia: Paulo disse a Timóteo: “Prega a  palavra” (2Tm 4.2). O próprio Paulo declarou “todo o  desígnio de Deus” à igreja em Éfeso (At 20.27). As  reuniões de igreja, hoje, deveriam estar centradas em  sermões que tomam o ponto principal de uma  passagem da Escritura, fazem dele o ponto principal do sermão e o aplicam à vida de hoje.

3. Orar a Bíblia: Paulo insta que orações sejam feitas na  igreja reunida (1Tm 2.8; 3.14-15). O conteúdo dessas  orações deveria ser bíblico, de modo a edificar todos os presentes (1Co 14.12, 26). Isso não significa que as  orações em um culto de igreja deveriam ser secas e  formais, mas que elas deveriam ser biblicamente ricas.

4. Cantar a Bíblia: Paulo disse à igreja em Colosso:  “Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo  […]louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos  espirituais, com gratidão, em vosso coração” (Cl 3.16).  Isso não significa que as igrejas deveriam cantar  apenas Salmos ou apenas as palavras da Bíblia, mas  significa que as igrejas deveriam cantar cânticos que  sejam encharcados da linguagem e da teologia da  Bíblia.

5. Ver a Bíblia: Nós dizemos “ver a Bíblia” porque as ordenanças do batismo e da Ceia do Senhor são, para  usar a expressão de Agostinho, “palavras visíveis”. No  batismo e na Ceia do Senhor nós vemos, cheiramos,  tocamos e provamos a Palavra. As igrejas cristãs  deveriam celebrar o batismo e a Ceia do Senhor  durante suas reuniões públicas de culto (1Co 11.17-34).

(Este material foi adaptado do capítulo “Foundations for  Biblically Directed Worship”, de Ligon Duncan, em Give  Praise to God: A Vision for Reforming Worship, editado por  Philip Graham Ryken, Derek W.H. Thomas e J. Ligon Duncan,  III [Phillipsburg: P&R Publishing Co., 2003, sem tradução em  português], p. 65-68.)

Extraído do site www.9marks.org. Copyright © 2013 9Marks. Usado com Permissão. Original: How should we decide what does or does not belong in a Christian worship service? e What does the New Testament say that churches should do when they gather?

Tradução: Vinícius Silva Pimentel – Ministério Fiel © Todos os direitos reservados. Website:www.MinisterioFiel.com.br / www.VoltemosAoEvangelho.com. Original:  O que é, quem deve e como EVANGELIZAR?

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

9marks-logo2

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.
Criado por WP RGPD Pro